Domingo, 18 de Maio de 2014
CUIDADO COM AS DIETAS-RELÂMPAGO

O verão é época de cair na tentação das dietas milagrosas. Cuidado.

Com o verão à porta, perder alguns quilos em poucas semanas pode ser uma tentação. Tenha atenção: a sua saúde vai agradecer-lhe por pensar a prazo. E a sua silhueta também.

Livrar-se da barriguinha para a praia está nos antípodas do que parece ser um consenso entre especialistas em gestão do pe­so: perdê-lo em pouco tempo é, além de pouco saudável, con­traproducente. «Em mais de 90 por cento dos casos de peso em excesso, é desejável que a perda seja gradual», diz o nutricio­nista José Camolas. Para o nutricionista, uma perda de peso adequada varia, geral­mente, entre um e quatro quilos por mês. «Se perder peso de forma gradual, perde proporcionalmente menos massa magra (muscular), que é o maior gastador de ca­lorias do corpo», explica. «Em dietas mui­to extremas, com perdas de peso muito rá­pidas, pode acontecer que só metade do peso perdido seja gordura, quando o dese­jável seria 85 a 90 por cento.» Existe tam­bém uma componente psicológica: «Nas dietas muito restritivas, com hábitos ali­mentares atípicos, adota-se estratégias radicais que não é possível manter a lon­go prazo. Ao parar, não se tendo criado há­bitos novos, volta-se aos antigos. Até pode perder-se muito peso, mas o mais provável é desistir, a curto prazo, e depois recupe­rá-lo todo, ou ainda mais.»

As tentativas falhadas têm um preço. «Há investigação que diz que quem vai tentando e falhando, torna cada vez mais difícil a tentativa seguinte», o que, explica José Camolas, acontece por duas razões: por um lado, «quando se recupera peso, o aumento é em massa gorda, o que favorece ainda mais a sua recuperação, pois quan­to menos massa magra temos, mais bai­xa o metabolismo basal (gasto energéti­co que garante as funções do corpo em re­pouso)»; por outro lado, «várias tentativas falhadas levam questionar a capacidade de emagrecer. Ora, a perceção de compe­tência e autoeficácia é determinante para o sucesso do emagrecimento duradouro». Pensar a longo prazo é, portanto, o primei­ro passo para se libertar do círculo vicio­so da frustração. Para o conseguir, além de consultar o médico de família, deverá se­guir boas práticas (ver caixa) e evitar erros frequentes das dietas-relâmpago.

3 HÁBITOS QUE FAVORECEM A PERDA DE PESO

» Reduzir a densidade energética da dieta. Aposte em alimentos com poucas calorias e muitos nutrientes por unidade de peso, como hortícolas (meio prato às refeições), sopa (duas a três con­chas às refeições) e fruta (duas a três peças por dia).

» Fazer, no mínimo, três refeições por dia. Uma delas deve ser o pequeno-almoço (pode beber só um copo leite ou comer fruta ou iogurte antes de sair de casa e, um pou­co mais tarde, uma refeição mais completa). Lanches a meio da manhã ou da tarde e/ou uma ceia são úteis se isso significar comer menos na refeição seguinte.

» Comer devagar. Sentir-se saciada depende, em parte, dos estímulos visuais, dos cheiros, da mastigação e do tempo de permanência da co­mida na boca. Comer devagar e saborear a comida ajuda a dosear.

ERROS FREQUENTES

 1. ABOLIR MACRONUTRIENTES

Seja pão, massa ou arroz (hidratos de carbono), proteínas (carne, peixe, ovos) ou gorduras (incluindo as saudáveis), eliminar por completo grupos alimentares é um erro. «A nutrição adequada para perda de peso, prevenção de diabetes, do colesterol e de outros problemas, não se compadece com restrições totais», diz o nutricionista. As abordagens mais bem sucedidas trabalham quantidades.

Como corrigir

«Uma aposta segura é restringir alimentos muito ricos em gordura e/ou açúcares, como doces, molhos e carnes gor­das, fritos e fast food. E atenção, esta inclui a sua versão portuguesa: me­rendas, rissóis, croquetes, empadas, chamuças…»

2. SUBSTITUIR LATICÍNIOS POR SUMOS

«Com esta troca perde-se qualidade nutricional e ganha-se calorias e açúcar. O leite é uma ótima fonte de proteína e cálcio que só faz sentido retirar em caso de alergia ou intolerância à lactose. Sumos naturais são uma boa opção, mas podem conter toda a fruta que se deve comer num dia; já os industrializados muitas vezes contêm frutose, que, adicionada em quantidades elevadas, altera muito o metabolismo. »

Como corrigir

«Os adultos precisam de duas a três porções diárias de leite ou derivados, sendo uma porção um copo de leite, um iogurte líquido, dois iogurtes sólidos, uma fatia de queijo ou 50 gramas de queijo fresco. O leite pode ser meio gordo ou magro; os queijos e iogurtes devem ser magros.»

3. NÃO AUMENTAR A ATIVIDADE FÍSICA

Quando a estética comanda a vontade de perder peso, «tem de se pensar a sério na atividade física ou corre-se o risco de flacidez», sublinha o nutricionista, referindo-se à importância do exercício para tonificar a massa muscular. Do ponto de vista da saúde, salvo situações clínicas raras, «a maioria das pessoas beneficia de, a par dos cuidados alimentares, aumentar a atividade física».

Como corrigir

«O ideal é ter a possibilidade (e vontade) de fazer um exercício estruturado, de intensidade progressiva, orientado por um profissional e que combine atividades de resistência e de força para aumentar a massa muscular. Mas subir escadas, andar mais a pé, enfim “inventar”motivos para se mexer, já ajuda a gastar energia.»

SINAIS DE ALARME

Interrompa a dieta e procure ajuda profissional se sentir…

_Défice de concentração

_Irritabilidade fácil

_Sensação de desmaio

_Queda de cabelo

_Unhas quebradiças

_Pele seca ou baça

_Falta de energia generalizada e/ou outros sintomas compa­tíveis com depressão

_Que a dieta monopoliza a sua vida (deixou de jantar com os amigos, de ir a festas, de co­mer alimentos que adora, de pensar noutras coisas

 

 

fonte:http://www.noticiasmagazine.pt/



publicado por adm às 10:48
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
|

Quinta-feira, 1 de Maio de 2014
Dieta rígida de 30 dias vira febre nas redes sociais

Uma dieta conhecida como Whole30 está tomando conta das fotos compartilhadas no Instagram. Ela é extremamente rigorosa, rica em proteínas, sem qualquer carboidrato, com duração de 30 dias. O programa de alimentação foi criado por Dallas e Melissa Hartwig, também responsáveis pela publicação do best-seller It Starts with Food, e promete redefinir o corpo em todos os aspectos. As informações são da Elle.

Desde a criação, o programa alimentar foi divulgado em blogs, fóruns, seminários e workshops. Os adeptos passaram, então, a documentar o que comiam e como cozinhavam cada alimento, acrescentando a hashtag da dieta.

A regra é: se sair da dieta, deve começar o programa novamente. A nutricionista Keri Glassman afirmou que o período é longo demais e a dieta muito restritiva, especialmente se a pessoa tem que começar tudo de novo. A proibição de leite e legumes foi outra crítica da profissional. No programa Whole30 é permitido comer carne, nozes, sementes, frutos do mar, ovos, vegetais e algumas frutas.

A profissional de fitness Liz Barnet acredita na dieta como forma de pessoas que comem e bebem muito adotarem um novo começo. “É um plano para ajudar a manter o foco”, disse. Liz fez duas semanas da dieta e perdeu oito quilos. É bom para pensar em novas formas de preparar os alimentos que são permitidos. “Você aprende técnicas de cozinha e receitas para colocar em prática após os 30 dias”, disse. 

 

fonte:http://saude.terra.com.br/



publicado por adm às 13:13
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
|

Segunda-feira, 17 de Fevereiro de 2014
Conheça a dieta sem glúten e lactose seguida por Grazi Massafera e Isis Valverde

Grazi MassaferaIsis Valverde, Carol Castro e Anderson Di Rizzi são exemplos de celebridades que secaram as gordurinhas extras aderindo à dieta sem glúten e lactose, mesmo que não sejam intolerantes ou alérgicas aos nutrientes. Em entrevista ao Purepeople, a nutricionista funcional Andréa Santa Rosa, mulher do ator Márcio Garcia, concede detalhes desse regime alimentar.

O glúten está presente na maioria dos alimentos ricos em calorias: bolos, pizzas e cervejas. "É a proteína do trigo que nosso organismo não consegue digerir, favorecendo o surgimento de doenças crônicas, como a obesidade. Quando ele é retirado da dieta o metabolismo volta funcionar de maneira rápida e efetiva, aproveitando melhor os nutrientes que são oferecidos diariamente", relata.

Já a proteína do leite, a caseína, está presente em todos os seus derivados: queijos, alguns molhos e iogurtes. "Estudos mostram que ela aumenta o muco nos órgãos respiratórios piorando o quadro alérgico do indivíduo. Todos deveriam evitar e ter uma atenção maior", adverte.

A boa notícia é que ao retirar esses nutrientes da alimentação o inchaço e a distenção abdominal diminuem. "Além disso, o intestino funciona normalmente, as dores e cabeça acabam e as flatulências param de incomodar", conta.

Experiência dos Famosos

Isis chegou a parar no hospital antes descobrir ser celíaca - intolerante ao glúten - em 2012, quando estava no ar em "Avenida Brasil". "Foi um terror. Só passou quando eliminei o nutriente de uma vez e fiquei bem mais saudável", disse à revista "Corpo a Corpo". Com a mudança no cardápio, a atriz passou do manequim 38 para o 34. "Agora me sinto mais leve e disposta", completou.

Apesar de estar sempre em ótima forma, Grazi fez um exame de sangue no final de 2013 e viu que sua taxa de colesterol estava alta demais. A partir disso, decidiu aderir à dieta. "Conquistei um shape mais definido quando mudei a minha alimentação tirando glúten e a lactose", contou à revista "Glamour".

Carol é outro exemplo de quem já era magra, mas decidiu dar uma enxugada nos quilinhos extras. "Descobri que tirar glúten e lactose da dieta me seca na hora, então passei a optar sempre por alimentos sem eles", explicou à revista "Vogue". A atriz perdeu 7kg e passou do manequim 40 para o 34. "Estou me sentindo mais elegante, mas perdi o guarda-roupa inteiro!", brincou.

Anderson, que fez sucesso como o Palhaço em "Amor à Vida", surpreendeu pelo corpo sarado conquistado em pouco tempo. "Estou há seis meses sem glúten, lactose e trigo, que eu evito comer", afirmou ao "Gshow".

 

fonte:http://www.purepeople.com.br/



publicado por adm às 20:28
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
|

Sábado, 15 de Fevereiro de 2014
Por que fazer a dieta Detox?

A dieta detox é uma técnica da nutrição funcional que visa eliminar toxinas ou qualquer outra substância prejudicial à saúde, como agrotóxicos, corantes, conservantes, hormônios, medicamentos, aditivos alimentares, açúcar, gordura, que produzem substâncias tóxicas comprometendo a função celular.

 

 

O principal objetivo dessa dieta não deve ser o emagrecimento e sim a limpeza do organismo. Isso precisa ficar muito claro, pois essa dieta não pode ser feita por muitos dias. O principal objetivo é a retirada de toxinas do organismo, principalmente no fígado e no intestino, que muitas vezes perde sua capacidade de absorção com o acumulo das mesmas.

 

 

São consideradas substâncias tóxicas toda substância que leva ao envelhecimento e morte precoce das células. Dentre as mais comuns em nosso organismo são: as gorduras, os açúcares, aditivos alimentares, a lactose, o glúten e a clara do ovo, por serem altamente alergênicos.

 

 

Você deve montar um cardápio funcional, de acordo com o seu organismo e o seu objetivo. A partir disso saberá quais alimentos incluir e quais excluir e também qual deve ser o tempo de duração da sua dieta.

 

 

Os alimentos orgânicos como os que utilizamos no SPA Médico Orgânico Tatiana Cunha, em Campo Grande, são essenciais nessa dieta, pois são livres de agrotóxicos e quaisquer outros tipos de influências negativas. Eles também possuem antioxidantes que previnem o envelhecimento celular e melhoram o funcionamento do organismo.

 

 

Para fazer um planejamento alimentar para o seu detox, você deve sempre incluir o arroz integral, lentilha, ervilha, grão de bico, peixe, legumes, verduras, frutas e chás de ervas. E o que não pode em uma dieta detox são carnes vermelhas e frango, frituras, alimentos industrializados, alimentos com glúten e com lactose, ovo, açúcares e também o adoçante por ser industrializado, entre outros.

 

fonte:http://www.dm.com.br/



publicado por adm às 17:22
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
|

Domingo, 13 de Outubro de 2013
Veja 5 motivos pelos quais a maior parte das dietas falha

A maioria das pessoas associa a palavra “dieta” à privação. Uma pesquisa divulgada nesta semana, encomendada por uma companhia alimentícia do Reino Unido mostrou que duas a cada cinco pessoas que fazem dieta regularmente desistem logo nos primeiro sete dias. Além disso, apenas 20% destas conseguem seguir firme até o terceiro mês. As informações são do site Health.com.

 

Muitas pessoas também aliam as dietas à malhação na busca pela perda de peso, mas não conseguem manter a rotina a longo prazo. A solução, de acordo com a especialista em dieta e nutrição Cynthia Sass, é identificar as armadilhas e implementar estratégias para perder peso de forma sustentável. Veja 5 dicas importantes neste sentido.

 

1. Rebelião do corpo
Dietas drásticas ou muito restritas podem provocar mudanças de humor, dores de cabeça, fadiga física e mental, irritabilidade, problemas digestivos e confusão mental. Ninguém quer se sentir dessa forma, e o fato é que mudando a dieta para melhor você deveria se sentir, ao contrário: energizado, feliz e lúcido.

 

Solução: revisite sua história e tente não repetir antigos erros. Você conhece seu corpo melhor do que ninguém, ou seja, sabe exatamente o que não funciona. Na maior parte dos casos, dietas baseadas em pouquíssimas calorias ou em baixo carboidrato são as maiores culpadas.

 

Adicionar pequenos lanches entre as refeições, comer porções menores e incluir frutas ao cardápio são apenas algumas das práticas corretas a serem feitas. Embora pareça estranho, é necessário comer mais quando se quer perder peso. Isso porque restringir muito o número de calorias ingeridas pode comprometer o seu metabolismo. Para não errar, tente o equilíbrio: não coma muito, nem muito pouco.

 

2. Com fome
Sentir fome cinco minutos depois que você comeu, ou mesmo uma hora depois, não é necessário para manter suas curvas. Na verdade, a fome crônica indica que sua dieta não está balanceada, o que pode fazer com que o corpo conserve mais energia e dificulte a perda de peso.

 

Solução: inclua em sua alimentação itens que aumentam a sensação de saciedade, ricos em proteína magras (ovos orgânicos, peixe, aves, feijão e lentilha); fibras (frutas, vegetais, grãos integrais, feijão e lentilha) e gordura boa (abacate, nozes, sementes, azeite extra virgem e óleo de coco).

 

Outra boa estratégia é apostar em alimentos que possam ser ingeridos em volume maior sem trazer muitas calorias, como frutas e vegetais frescos e ricos em água; além de alimentos ricos em amido, como pipoca orgânica.

 

fonte:http://saude.terra.com.br/



publicado por adm às 19:02
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
|

Domingo, 6 de Outubro de 2013
Excesso de carne na dieta pode aumentar o risco de doenças cardiovasculares

Cuidado com as dietas restritivas, como a das proteínas. “O excesso de alimentos de origem animal, especialmente as carnes, pode aumentar os níveis de colesterol ruim no organismo e, com isso, causar o aparecimento de doenças cardiovasculares”, alerta Juliana Dantas, nutricionista do Hospital do Coração, em São Paulo. E mais: “O exagero no consumo de proteínas também pode sobrecarregar os rins”, completa a especialista.

O ideal é seguir uma dieta equilibrada, rica em nutrientes, não só com proteínas magras, mas também com carboidratos, fibras, vitaminas e sais minerais.

Para manter a boa saúde do coração, a nutricionista sugere alimentos que ajudam a reduzir os níveis de colesterol ruim. Bons exemplos são os óleos vegetais (soja, canola, milho, girassol), as fontes de ômega 3 (sardinha, salmão e arenque) e as oleaginosas (castanhas, nozes, amêndoas). Só não pode exagerar no consumo, pois são calóricos. “Também inclua na listinha as fibras, encontradas em leguminosas, frutas, aveia, trigo, grãos e hortaliças”, lembra ela.

E quais alimentos devem ser evitados?  Carnes gordurosas (como o hambúrguer de fast food), leite integral e derivados, frios e embutidos, frutos do mar, leite de coco e alguns óleos vegetais (como de dendê e de palma). “Fique longe da gordura trans, encontrada em sorvetes, biscoitos recheados, margarinas e bolos industrializados”, enumera Juliana. Com uma alimentação mais saudável, seu coração agradecerá!

fonte:http://mdemulher.abril.com.br/b



publicado por adm às 15:33
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
|

Domingo, 15 de Setembro de 2013
Dieta mediterrânica pode prevenir demência

Um estudo feito pela Escola de Medicina da Universidade de Exeter, no Reino Unido, revela que seguir uma dieta mediterrânica faz bem à mente

O grupo de investigadores afirma, segundo o jornal britânico ‘Daily Mail’, que quem consome regularmente frutas, vegetais, nozes, peixe e azeite tem um menor risco de desenvolver doenças relacionadas com o avançar da idade, tais como a demência e Alzheimer.

Em nove dos 12 casos analisados, os objectos de estudo seguiam uma dieta mediterrânica, estando esta associada a um melhor desenvolvimento cognitivo, níveis mais baixos de dificuldades cognitivas e a um menor risco de aparecimento da doença de Alzheimer.

No entanto, Iliana Lourida, responsável pela investigação, que se baseou em estudos anteriores, admite que ainda é preciso aperfeiçoar algumas partes desta pesquisa, uma vez que os resultados para a fase de perda de faculdades cognitivas (antes de se ter Alzheimer ou demência) foram inconsistentes.

“A nossa avaliação revela algumas inconsistências presentes em estudos anteriores (…) Foram feitos estudos com base na observação, agora é necessário fazer um ensaio clínico randomizado controlado (método usado para testar a eficácia de uma dada abordagem terapêutica) para confirmar todas estas pesquisas”, explicou. 

fonte:http://www.sabado.pt/



publicado por adm às 19:31
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
|

Sexta-feira, 23 de Agosto de 2013
Desvende seis mitos sobre o consumo de frutas na dieta

Quais são as frutas mais indicadas na dieta de emagrecimento? É melhor consumi-las in natura ou em sucos? Com ou sem casca? Frescas ou desidratadas? Chega de tantas dúvidas sobre esse tema! Aqui você encontrará todas as respostas. Quem responde é a Daisa Pinhal, nutricionista do Oba Hortifruti.

1. Quais são as frutas mais indicadas para o consumo em dietas de emagrecimento?
Consuma frutas ricas em água (que ajuda na hidratação do corpo) e com baixas calorias. Bons exemplos são melancia, maçã, melão e abacaxi. Além de magrinhas, elas contêm muitas fibras, que dão sensação de saciedade, auxiliando na perda de peso.

2. Quantas frutas podem ser consumidas por dia?
A recomendação é 3 porções diárias, no máximo. Mais do que isso, você poderá engordar.

3. É melhor consumir a fruta in natura ou em sucos?
Todo alimento in natura é mais indicado para a saúde, pois seus benefícios nutricionais são conservados, inclusive as fibras. Qual é a dica? Se você for preparar suco, procure usar apenas frutas, assim será possível preservar seus nutrientes. Não vale adicionar açúcar, ok!

4. É aconselhável comer frutas com ou sem casca?
O ideal é consumi-las com suas cascas, que são ricas em fibras. Elas ajudam a manter a saciedade e também contribuem para o bom funcionamento do intestino.

5. Frutas desidratadas são tão boas quanto as frescas?
As desidratadas geralmente perdem suas propriedades nutricionais, (como as vitaminas e os minerais). Mas elas mantêm as fibras. Podem ser indicadas entre uma refeição e outra, acompanhadas de água.

6. Salada de frutas tem que ser consumida no mesmo dia?
Sim. Neste caso, as frutas vão ficando desidratadas e, por isso, podem perder suas propriedades nutricionais (menos as fibras). Por isso, a recomendação é que consuma a saladinha o quanto antes. Quer uma sugestão? Olha só essa delicinha do MdeMulher:salada de frutas com molho de iogurte e hortelã. Bom demais, né!

 

fonte:http://mdemulher.abril.com.br/b



publicado por adm às 01:14
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
|

Quinta-feira, 22 de Agosto de 2013
Contar calorias dos alimentos pode ser inútil na dieta, diz estudo

Se você quer perder peso e vive contabilizando cada uma das calorias que ingere, repense. Isso porque, segundo especialistas, grande parte dos dados nutricionais nos rótulos se baseia na ciência do século 19. As informações são do site do jornal britânico Daily Mail.

 

Além disso, a forma como a comida é preparada – além do metabolismo individual de cada um – podem acarretar uma enorme diferença na quantidade de calorias que realmente foi ingerida.

 

Um estudo mostrou que uma porção de amêndoas cruas, por exemplo, pode ter menos calorias do que as indicadas no rótulo; em contrapartida, a ingestão de alimentos processados e cereais açucarados pode ultrapassar o número de calorias estampada nas informações nutricionais.

 

Os pesquisadores observaram que ratos que foram alimentados com batata doce crua perderam mais do que 4 gramas, enquanto que os que receberam a mesma quantidade do alimento cozido acabaram engordando.

 

Outro problema é que mesmo quando o alimento é cozido da mesma forma, cada sistema digestivo processa de uma maneira, graças ao tipo e à abundância de bactéria no intestino. Os obesos têm um excesso de certos tipos de bactérias do intestino, tornando-os mais eficientes na absorção de calorias. 

fonte:http://saude.terra.com.br/



publicado por adm às 00:00
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
|

Sexta-feira, 9 de Agosto de 2013
Vilões da dieta: alimentos que só parecem pouco calóricos

O que a granola, a comida japonesa, a bolacha de água e sal e os sucos naturais têm em comum? Todos parecem ser aliados da dieta, mas podem engordar - ainda mais quando consumidos de forma excessiva. "Do ponto de vista calórico, esses alimentosnão são tão inofensivos. As pessoas precisam aprender a ler melhor o rótulo dos alimentos e se informar antes de comer. Muitas pessoas não emagrecem porque fazem trocas que não valem a pena", alerta o nutrólogo Celso Cukier, do Hospital do Coração, em São Paulo.


Por ser seca e leve, muitas pessoas acham que as bolachas de água e sal e as torradas não engordam. Na verdade, lembra o médico, um pão francês equivale a 3 torradas ou 6 bolachas de água e sal. Segundo o Cukier, na dúvida, o ideal é optar por versões integrais ou com grãos. "As torradas ou bolachas integrais não só dão maior sensação de saciedade, como auxiliam no funcionamento do intestino, mas podem significar o mesmo em calorias que duas fatias de pão", pondera.

Uma porção de 100 g de granola pode ter mais de 400 calorias. "Ele contém frutas secas, cereais, açúcar e às vezes gorduras associados ao seu preparo. As pessoas não devem comer mais do que 3 colheres ao dia.

Os peixes são leves, ricos ômegas e saudáveis, mas isso não significa que a comida japonesa esteja liberada. Algumas opções podem minar a dieta de qualquer um, como por exemplo, o gyouza (200 calorias por unidade), hot holl (90 calorias por unidade) e temaki (com cream cheese, mais de 215 calorias). Já o molho shoyo, que pode até 26 calorias por colher, contém sódio em excesso - um agravante nas doenças cardiovasculares.

A aveia é ideal para ajudar no controle do colesterol e no funcionamento intestinal, mas é calórica, uma colher tem 75 calorias, portanto, deve ser consumida com moderação por quem está em dieta.

Nozes, amêndoas e castanhas são opções saudáveis para os lanchinhos intermediários durante o dia. Contém boas gorduras, minerais e antioxidantes, mas são calóricas. As pessoas devem controlar a compulsão e comer no máximo duas ou três unidades, cerca de 30 g por dia.

Também não adianta substituir o açúcar pelo mel. Sua vantagem é que não se trata de um produto industrializado. Uma colher de sopa possui cerca de 62 calorias, enquanto uma de açúcar, 100 calorias. "Apesar de ser fonte de vitaminas do complexo B, sais minerais, cálcio, ferro, fósforo, potássio, proteínas e vitamina C, o mel não deve ser consumido à vontade, pois engorda", lembra Cukier.

Engana-se também quem toma suco natural de frutas achando que as calorias são inexistentes. Pelo contrário. Um copo de suco de laranja tem 116 calorias. Entres os menos engordativos estão os de abacaxi, melão e limão.

fonte:http://exame.abril.com.br/




publicado por adm às 23:44
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
|

.pesquisar neste blog
 
.posts recentes

. CUIDADO COM AS DIETAS-REL...

. Dieta rígida de 30 dias v...

. Conheça a dieta sem glúte...

. Por que fazer a dieta Det...

. Veja 5 motivos pelos quai...

. Excesso de carne na dieta...

. Dieta mediterrânica pode ...

. Desvende seis mitos sobre...

. Contar calorias dos alime...

. Vilões da dieta: alimento...

.links
.tags

. actualidade

. alimentos

. alimentos dietéticos

. ameixa

. atividades físicas

. bebe

. benefícios do vinagre

. caloria

. calorias

. caminhada nórdica

. celebridades

. cogumelos

. como emagrecer

. crianças

. curiosidades

. desporto

. diabetes

. dicas

. dieta

. dieta amazônica

. dieta das sopas

. dieta de alho

. dieta de aveia

. dieta detox

. dieta do chá vermelho

. dieta do cogumelo

. dieta do jejum

. dieta do mel

. dieta dos 17 dias

. dieta dos nutrientes

. dieta líquida

. dieta mediterrânea

. dieta mediterrânica

. dieta para hipertensos

. dieta radical

. dieta rígida de 30 dias

. dieta sem glúten e lactose

. dieta vegetariana

. dietas

. dietas no inverno

. dietas-relâmpago

. emagrecer

. erros na dieta

. estudos

. exercio

. famosas

. famosos

. frutas

. frutas secas

. hormônios

. mel

. milk shake

. mulher

. noticias

. pão

. perca calorias com dicas e receitas

. pirâmide alimentar

. portugal

. queimar calorias

. refeição

. saúde

. sopa

. tabela de calorias

. verão

. vida

. todas as tags

.subscrever feeds